quinta-feira, 7 de julho de 2016

...porque é cada detalhe maravilhoso...

Eu tava tão empolgada... tão empolgada...

eu gritava... cantava... sorria... todo dia... o dia inteiro...

meu bebê ia chegar logo... eu sentia... não tinha um perfil mega abrangente, mas também não era o mais restrito do mundo... faltava pouco... eu sentia... eu achava... eu era muito ingênua...

Artur também me parecia cada dia mais feliz... conversávamos toda semana... pensávamos em nomes... imaginávamos a carinha... era gostoso... eu queria compartilhar com todo mundo...

minhas amigas próximas já sabiam... nossos pais e irmãos também... mas eu queria mais... eu queria todo mundo sabendo... eu queria colocar uma faixa... anunciar num megafone...

o natal se aproximava e minha família sempre se junta nessa época... conversei com Artur e decidimos que seria uma boa hora pra anunciar... mesmo porque nosso filho ia chegar logo (de novo, como eu era ingênua) e eu não queria pegar todo mundo de surpresa...

natal... muito comida... todos meus 456 primos e tios... um clima de alegria e leveza...

- Errrr.... gente... presta atenção aqui... Artur quer dizer umas coisinhas...
(já tinha pedido pra ele falar porque eu tinha certeza que ia chorar)
- Oi... errrrrr... então... eu queria dizer que logo logo nossa família vai aumentar... eu e Érica vamos adotar um filho!

eu poderia ser a Clarice Lispector... ainda assim eu não saberia como colocar em palavras tudo o que aconteceu em seguida...

TODOS os meus 456 primos e tios se levantaram e foram abraçar a gente... todos... cada um veio até nós, nos beijos, nos abraçou e nos deu todo o apoio e carinho do mundo... eu nunca me senti tão acolhida... foi um chororô com sorrisos com agradecimento... ficamos até 3h da madrugada conversando sobre nossa decisão, o que nos motivou, como é o processo, qual nosso perfil... todo mundo tava muito feliz e empolgado com a idéia... eu chorei compulsivamente, não preciso nem dizer... mas o mais legal... Artur chorou... Artur!

foi tão bonito... foi tão bacana...

sem dúvida o segundo melhor Natal da minha vida, meu-filho-que-vai-chegar...

porque o primeiro vai ser com você aqui...


sábado, 30 de abril de 2016

...porque a vida é assim mesmo: dias bons e outros nem tanto...

Então tá...

resumo da ópera até o momento... Artur tava feliz.... eu tava feliz... os documentos tinham sido entregues...

qual seria o próximo passo?!

entrevista social!

eu já tinha lido quase tudo que tem disponível sobre adoção... sabia todos os passos... e já tinha ensaiado uma ou duas vezes durante o banho...
mas tinha que "treinar" o Artur, né?!

- Amor... e se ela te perguntar o porquê de você estar adotando!?
- Vou dizer que é porque você quer, ué?!
- Nããããããããão, amor... ela vai achar que você não quer... tem que dizer que pensamos juntos e decidimos...
- Tá...
- E se ela te perguntar como é nosso relacionamento!?
- Vou dizer que você é muito encrencada e que por isso a gente briga a beça...
- Amorrrrrrrrr!
- Hahahahahahaha... tá bem... vou dizer que é como um conto de fadas...

e assim foi... a noite toda ensaiando...

no dia seguinte coloquei uma roupa "de mãe" e fomos pro Fórum... eu tremia e suava como uma vara verde... tava muito, muito nervosa... nos blogs e livros as pessoas sempre diziam que eles puxavam ao máximo, que era tenso... eu já imaginava o pior cenário...

sentamos de frente pra porta da Assistente Social... a mesma porta onde eu ainda ficaria muitas e muitas vezes em frente... foram tantas horas ali que eu sei te dizer quantos frisos, arranhões e defeitos a porta tem... já tive sonhos com meu-filho-que-vai-chegar saindo por aquela porta...

enfim...

ela nos chamou...
disse que estava um pouco perdida porque era a primeira vez que fazia aquilo... (oi?!?!?!)... fez as perguntas de praxe (situação financeira, situação familiar, religião, casa, suporte...) e eu dando as perguntas mais formais que conseguia...
e Artur?! bom... ele foi ele... disse o que vinha a cabeça... soltava aquelas frases de qualquer jeito (ahhh, a gente briga muito mas faz as pazes rápido) e não me parecia nem um pouco desconcertado...

levantei me sentindo um cocô ambulante... pra mim tava tudo errado... me deram um assistente social novata que não me passou segurança nenhuma (apesar de ser muito educada e competente, vale ressaltar!) e Artur tinha sido a metralhadora ambulante de sempre...

ela vai detonar a gente... tenho certeza...

no final daquela semana ela ainda foi na nossa casa... infelizmente foi num dia em que estava de plantão é só Artur pô de recebê-la...

- Mas como foi, amor!??!?!??!
- Ahhh, ela entrou, viu tudo e foi embora... num deve ter durado nem 10 minutos...
- Mas ela falou alguma coisa?!?!??!
- Que a nossa casa é bonita...
- Mais nada?!?!?!?!
- Mais nada...

ferrou... pra mim já tinha acabado ali... passei 3 semanas mal... com raiva do mundo... "meu Deus, nadei nadei nadei e vou morrer na praia!?"

no final do mês voltei ao Fórum...

- Oi...
- Oi, Érica... que bom te ver! Já finalizei o relatório sobre vocês e já enviei ao Juiz... se ele der o aval, já tá tudo certo...
- Mas você acha que temos chances?!
- Claro!!! Vocês são ótimos... vai dar tudo certo...

saí dali, entrei no carro e chorei por 15 minutos...
tava tudo correndo bem... eu não podia nem acreditar!


meu Deus... eita montanha russa de emoções mais doida essa!!!!!!

sexta-feira, 29 de abril de 2016

...porque tem muita gente boa pelo caminho...

Depois da dica da Detinha, corri pruma conhecida minha que eu sabia ter tido uma filha por meio da adoção...

A. é aquelas pessoas fofas e delicadas, com quem você conversa por horas... sabia que ela me entenderia...

falei mais ou menos por telefone o que era e marcamos de nos encontrar... fui até sua casa e, em meio a lágrimas, abri meu coração... a verdade é que a esse altura do campeonato e já tava DOIDA pra ser mãe... quanto antes Artur topasse antes eu resolveria essa angústia...

ela achou a idéia do encontro de casais maravilhosa, mesmo porque Artur tinha muitas características parecidas com a do seu esposo na época da adoção...

a verdade é que eu tenho a impressão que quase nenhum homem acata uma idéia de adoção assim, num piscar de olhos... como eles também quase não tem a iniciativa de "vamos engravidar!"... pode ser meio preconceituoso, mas sei lá... por tudo que já vivi, ouvi e li, me parece que na maioria das vezes a mulher vai tocando o barco e, enquanto o bebê não chega, o cara não "se toca muito"...

então tá... foi combinado... quarta feira a tarde... as crianças da A. estariam fora... a gente se encontraria...

Artur já foi logo me dando aquele banho de água fria...
- Eu não vou falar nada... vou ficar só lá, ouvindo...
- Tá bem, amor... faça o que você se sentir confortável...
- Mas vê se não fica me pressionando... eu não quero falar nada...
- Tá bem, amor... vou tentar dar meu máximo...

chegamos... oi, oi... vamos entrando... e aí?! tudo bem!?
casualidades...

- Mas sabe, gente... eu sinto que o maior medo do Artur é a diferenciação, até mesmo não intencional, entre filhos biológicos e adotivos... não sei... acho que ele acha que não vai conseguir não fazê-lo...
- Ihhhhh, Artur... o meu esposo também tinha isso...
- Tinha mesmo... quando a nossa filha chegou eu fiquei tãããão nervoso de diferenciar que acabei dando mais atenção a adotiva que a biológico... inverti tudo...
- Pois é... a gente vai errando e acertando... no fim dá tudo certo...
- Exato... hoje não tem mais nada disso não... são minhas filhas e pronto... acabou!
- É novo pra gente como é novo pra elas...
- Isso... é um aprendizado...
- ...........

foi um papo tããããããããããão bom... não sei se A. e seu marido sabem... mas eles me salvaram naquela tarde... foram eles que deram o veredicto na cabeça do Artur... foi graças a eles e a estrutura familiar deles que meu marido viu que nossa família podia ser tão feliz e bacana como qualquer outra...

A. e marido...: à vocês meu eterno muito obrigada!

saímos de lá e Artur não parava de rir...

- Amor... vamos fazer isso... eu quero... vamos... vai ser muito bom!

pela primeira vez em muito dias a faísca ficou forte de novo...
a gente ia adotar...
iupiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 21 de março de 2016

...porque curiosidade é uma coisa normal (mas cansa!)...

Já perdi as contas de quantas vezes tive que me explicar...

entendo perfeitamente a curiosidade alheia, mesmo porque sou do tipo que lê site de fofoca... mas é que é um assunto meio não muito bem definido nem pra mim... ainda não tenho nenhum martelo batido sobre nada... como explicar pra outra pessoa!?

- Você chegou a fazer algum teste pra saber se são inférteis?!
não... e não sei se precisa... eu não quero adotar porque não posso gestar... eu não quero é gestar! pode ser que mude de idéia... pode ser que me arrependa e quando meus óvulos estiverem beeeeem velhinhos eu queira finalmente um filho da minha barriga... mas essa é uma decisão que eu estou tomando agora... e arcarei com as consequências dela da forma que for...

- Você nunca pensa como seria se engravidasse!?
o tempo todo... adoção é um processo tãããããããão difícil que a cada 2 semanas eu penso em jogar tudo pro alto e engravidar... porque aí eu sei que dali a 9 meses o baby vai tá nos meus braços e problema resolvido... mas quando eu penso nisso eu começo a pensar nas coisas que eu acho que podem acontecer... nas doenças reumatológicas que eu e Artur temos, na minha carga genética podrinha, na obesidade, morte morte morte... eu literalmente fico com dificuldade para respirar... sério mesmo... ofegante, sabe?! será que um filho vale a pena em troca da minha sanidade mental!??!?!?!??!?!?!? eu acho que não...

- Você é tão nova, pode mudar de idéia...
sim... posso...
aí veremos, né?!
não me dê mais um motivo pra ansiedade, por favor!

- Você não pensa como seria lindo um filho com a sua carinha ou com o jeitinho do Artur?!
não... não penso...
penso que um filho vai fazer todo esse amor que tenho dentro de mim transbordar... independente da cara e/ou maneiras dele...

- Você não acha que vai sofrer muito preconceito?!
acho... mas estou procurando me preparar para isso da melhor forma... além do mais, preconceito é um defeito do outro... não vou deixar minha vida girar e torno disso... acredito que gente bacana melhora o mundo e vou focar nisso...

- Você não tem medo de quando ele crescer se virar contra você?!
não...
você não tem medo de ter um pensamento tão babaca assim?!

- Você é meio grossa, né?!
sou...
foda-se!

quarta-feira, 16 de março de 2016

...porque nem todo anjo tem asas...

Aqui, nessa altura do campeonato, preciso que vocês saibam que eu converso muito com meu filho-que-vai-chegar... se eu vejo alguma coisa bacana eu penso como mostraria pra ele... se sei de uma história já me vejo contando pra ele... enfim... ele ou ela (ou eles!) é um serzinho abstrato mas que já faz parte da minha vida... aliás, minha vida já tá pronta, só esperando ele ou ela ou eles... então não repara se de vez em quando eu ter um mini-diálogo com ele por aqui... eu e meu filho-que-vai-chegar já somos muito próximos... ;)

então...

uma vez, num dos zilhões de livros sobre adoção que eu li, a adotante disse que encontrou vários anjos na terra... e eu ficava pensando se eu também os teria... achava que seriam 2 ou 3 no máximo...achava tudo muito piegas mas ficava doida pra acontecer comigo...

e aconteceu!


após o "embate" com Artur eu estava muito insegura... na minha cabeça o processo de adoção correria rápido (ahhhh, como eu estava enganada) e eu precisava ter certeza que era isso mesmo que ele queria...

moramos numa cidade pequena... tudo aqui é era muito escasso em se tratando de adoção... e eu estava beeeeeeem perdida...

aí que recorri à uma amiga... e ela se tornou meu anjo sem asas número 1 - Detinha!

ah meu filho-que-vai-chegar... o caminho que a mamãe percorreu até encontrá-lo foi difícil... e só não foi pior porque encontrei esses anjos no meu caminho... faço questão de apresentá-lo a cada um deles... se prepare porque vamos dar a volta ao mundo pra conhecer anjo... ;)


a Detinha é aquele tipo de pessoa que você sorri só de encontrar... alta astral, espirituosa e excelente profissional... nos conhecemos porque por um período da vida ele deu aulas de espanhol... e foi uma professora querida por 4 anos...
mas sua formação é como assistente social... e trabalha há muito tempo com adoção...
boba que não sou, corri nela pedindo ajuda!

- Detinha, acode eu!

ela mais que prontamente me ajudou... além das inúmeras dicas, sugeriu que conversássemos com casais que já passaram pelo processo de adoção... para que o Artur saísse um pouco do subjetivo e visse como é a coisa real... me sugeriu alguns nomes de casais que ele conhecia e essa se tornou a minha missão do momento...

a Detinha ainda vai aparecer muitas vezes nessa história, tamanha é sua importância nesse processo todo...

mas por enquanto a deixemos só com essa participação especial... e já com meu agradecimento eterno...

sabe filho-que-vai-chegar, essa sua tia Detinha é danada de boa...

mas agora eu tinha que encontrar um casal bacana pra conversar...

quem?! quem?! quem?!

aí vieram os anjos sem asas número 2... um casal abençoado, que foi fundamental para o processo definitivo de aceitação do Artur...

mas vamos com calma... ainda há coisas a serem contadas...

até esse momento eu já tinha tido crise de enxaqueca, dermatite atópica e gastrite...

o pior inimigo de toda nossa história é a minha ansiedade... e ela estava a mil!

terça-feira, 15 de março de 2016

...porque todo processo é cheio de altos e baixos...

Tá... beleza... juntei todos os documentos...

agora tinha que preencher um papel com um mini perfil da criança a ser adotada...

queria preencher junto com o Artur... ele queria ver jogo... eu queria acabar logo com isso... ele queria ver beber cerveja... eu morrendo de vontade de preencher tudo... ele indo jogar bola... ele estava cansado... com calor... sei lá o quê mais...

- Amor!!!!
- Quê?!?!
- Você mudou de idéia!?
- Não, Amor... só tô com uma coceira no meu dedão esquerdo (a décima quinta desculpa esfarrapada)
- Mas não tem jeito... temos que preencher... vamos agora... rapidinho...
- Tá bem...

Ficamos umas 2 horas conversando sobre o perfil... no fundo, no fundo Artur queria "qualquer" criança... preta ou branca, pequena ou maiorzinha... eu também!!! esses critérios estéticos não representam nada pra mim...! mas o que ele não sabia é que tínhamos que decidir sobre outros fatos também... se poderia ser doente, saudável, vitimizada, etc e tal... aí ele viu que não era só chegar lá e "pegar" uma criança... na verdade, acho que foi a primeira vez que ele parou pra pensar sobre certas situações... optar por adotar uma criança com deficiência ou com um histórico de abuso sexual... enfim... há inúmeras situações... e não serei hipócrita de dizer que somos tão abnegados assim... não somos... eu tinha meus receios... e ele passou a tê-los também...

optamos por um perfil assim...: até 3 anos, qualquer sexo, qualquer raça/etnia, podendo ter doenças tratáveis...
não é o perfil mais abrangente do mundo... mas acho que ficou bom... e até agora não o mudamos...

masssssss... com tudo isso... as desculpas esfarrapadas, a tensão ao preencher o papel... sei lá... senti Artur distante... morria de medo dele ter desistido da idéia e estar se obrigando a adotar pra me fazer feliz...

mas ao mesmo tempo, no maior egoísmo do mundo (mea culpa), eu não queria pensar muito nisso... senão eu não levaria adiante... e eu queria MUITO levar adiante...

no dia seguinte, uma semana após pegar os papeis (e passar o vexame com o Joranlista), lá estava eu no Fórum com meu envelopinho cheio...

- Mas já!? - disse a assistente social
- Num te falei que já penso nisso há anos!?
- :)

documentos entregues... eu estava feliz que nem um pinto no lixo...

mas a pulga atrás da orelha em relação ao Artur não me deixava dormir...

ohhhh, Senhor!!!

segunda-feira, 14 de março de 2016

...porque burocracia é uma m...

Eu não pensei três vezes quando o Artur disse que sim...

fui ao fórum já atrás de tudo o que precisava fazer...

aí cabe até uma história tragi-cômica...
assim que eu cheguei no Fórum da minha cidade, encostei no balcão e aguardava a minha vez... aí escuto uma voz... era ele... a voz dele é inigualável... o jornalista mais famoso da cidade... ali, justo naquela hora... suei frio...

- Doutora Érica! Tudo bem!?
- Oie! Tudo e você?!
- Calor, né?!
- Ô, nem se fala...

- Pois não, Senhora, em que posso ajudar!?
(e ele do meu lado!)
- Eu queria saber sobre os documentos para adoção...
- Desculpe, senhora, não ouvi...
- Eu queria saber sobre os documentos para adoção...
(ele não saía do meu lado!!!!!!!)
- Senhora, desculpa, mas ainda não ouvi...
- Eu queria saber sobre os documentos para adoção...
- Ahhhh, sim... vou buscar... 

nesse momento eu estava roxa, azul, verde florescente com bolinhas amarelas... 

- Vai adotar, querida?!?!?!
- Errrrrrr, não... é pruns amigos meus... 

(não consegui pensar em NADA melhor)
- Ah tá...

cataploft!!!! caí dura e preta nessa hora...

- Senhora, aqui estão...
- Ahhh, muito obrigada... tchau... tchau Jornalista!
- Tchau!

.
.
.

provavelmente ele nem se lembra disso... mas eu me lembro... e saí do Fórum chorando de raiva... puta merda... tanta gente pra aparecer... tanta hora pra ele aparecer...
ninguém da minha família sabe ainda... não posso deixar ele desconfiar... mas que desculpa mais nojenta de esfarrapada... "amigos meus?!"... pelo amor de Deus, Érica...

que merda... que merda... que merda...

entrei no carro e respirei fundo...
limpei as lágrimas e peguei o papel...

uma lista com uns 10 documentos que eu tinha que providenciar... pronto... acalma coração... sua meta agora é essa... documentos, comprovante de residência, comprovante de nada consta, atestado médico...

atestado médico!??!?! ATESTADO MÉDICO!??!?!?!
mas se NINGUÉM sabe que eu vou adotar... e se eu sou médica... e se todos os médicos da cidade me conhecem... como vou conseguir um atestado médico...?!?!?!?!?!

que merda... que merda... que merda...